Site novo em andamento!

29/08/2012
Site está quase pronto!

CURSO “PSICODRAMA BIPESSOAL COM CRIANÇAS”

22/08/2012

Tema: Atendimento à criança na abordagem psicodramática

Público alvo: Psicólogos, médicos e/ou alunos dos referidos cursos

Duração: 12 horas

Data, horário e local: 06, 13, 20 e 27 de setembro de 2012(quintas-feiras), das 19h30 às 22h30, na ABP(33466832 e/ou 32456390).

Objetivo geral: Fornecer aos alunos recursos teóricos e práticos para o atendimento psicodramático bipessoal infantil e fundamentar, por meio de referências conceituais e práticas, a atuação do profissional enquanto psicoterapeuta infantil.

Conteúdo programático: Conceito de Matriz de Identidade. Etapas do desenvolvimento infantil. Conceito de saúdeXdoença. Sessão sociátrica com crianças. Protocolo de atendimento infantil. Estudo de casos clínicos.

Investimento: R$380,00 (trezentos e oitenta reais) para o público em geral e R$340,00 (trezentos e quarenta reais) para alunos e/ou associados da ABP. O valor poderá ser dividido em duas parcelas (uma no ato da inscrição e outra para 30 dias).

Profissional: Marisa Becil Ferreira – CRP n.º 01/4170 (psicóloga, psicodramatista didata, psicodramatista didata supervisora em formação, professora da Associação Brasiliense de Psicodrama – ABP, diretora de psicodramas públicos tematizados e Vice-Presidente da Associação Brasiliense de Hipnose de Brasília).


Exército americano oferece US$ 3 mi para criação de spray nasal anti-suicídio

22/08/2012

O Exército norte-americano está em guerra, mas dessa vez é contra as altas taxas de suicídio (que chegaram a ser as maiores em toda a sua história) entre seus próprios soldados. O Pentágono informou que, neste ano, a média de suicídios no Exército equivale a uma morte por dia, o que supera as baixas em combates. Um spray nasal pode ser a solução para mudar esse triste cenário.

 

 

Esta seria uma grande descoberta que salvaria nosso ilustre Private Gomer Pyle…

 
Preocupado com o alto índice de perdas em suas bases, o Exército ofereceu 3 milhões de dólares para um cientista da Faculdade de Medicina da Universidade de Indiana para criar um spray nasal que contenha o hormônio neuroquímico liberador da tirotrofina (TRH). Este composto pode auxiliar pessoas a superarem pensamentos suicidas, evitando também a depressão e o transtorno bipolar.
O TRH cria um efeito eufórico e calmante, agindo de forma rápida no organismo. Apesar de não ser uma novidade no campo da neuromedicina, o hormônio só foi implantado por meio de injeções na medula espinhal, já que, quando concentrado em pílulas ou injeções intravenosas, não entra em contato com o cérebro. Mas o Dr. Michael Kubek pensa em introduzi-lo na cavidade nasal, de forma a facilitar a absorção pelo cortex, pois a via pode auxiliar o composto a atravessar a barreira sangue-cérebro e liberar o hormônio com eficiência.
Embora o novo medicamento esteja sendo desenvolvido pelo Exército, terá grandes efeitos também para a população civil, se for um sucesso. Até então, suicídios ocupam a quarta posição no ranking de causas de mortes em adultos de 18 a 65 anos nos Estados Unidos.

Mais de 100 americanos tiram suas próprias vidas todos os dias.

 

Fonte: Canal Tech


Capital Cultural Pierre Bordieu

21/08/2012

Vídeo produzido pela Univesp TV para o Curso de Pedagogia da Universidade Virtual do Estado de São Paulo sobre o conceito de Capital Cultural enunciado por Pierre Bordieu.

 

 

Link do Vídeo no Youtube: http://www.youtube.com/watch?feature=endscreen&NR=1&v=nQ40S71FQxo


A Experiência de Stanford

21/08/2012

O experimento de aprisionamento da Universidade de Stanford foi um marco no estudo psicológico das reações humanas ao cativeiro, em particular, nas circunstâncias reais da vida na prisão. Foi conduzido em 1971, por um time de pesquisadores liderados por Philip Zimbardo, da Universidade de Stanford. Voluntários faziam os papéis de guardas e prisioneiros, e viviam em uma prisão “simulada”. Contudo, o experimento rapidamente ficou fora de controle e foi abortado. Problemas éticos cercando o experimento de aprisionamento da Universidade de Stanford geram comparações com a Experiência de Milgram, que foi conduzido em 1963, na Universidade de Yale, por Stanley Milgram – amigo de Zimbardo nos tempos do ensino médio. O experimento foi patrocinado pela Marinha Americana, para explicar os conflitos no sistema prisional da Corporação. Zimbardo e seu grupo procuravam testar a hipótese que guardas prisionais e seus cativos fossem auto-seletivos, com uma certa disposição que naturalmente levaria a péssimas condições em tal situação.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Experimento_de_aprisionamento_de_Stanford

 

O filme “A Experiência, 2001”

Sinopse:

Uma equipe de cientistas arregimenta 20 presos para uma experiência psicológica em troca de um prêmio em dinheiro. Os prisioneiros são divididos em dois grupos: oito deles fazem o papel de guardas e os outros 12, de internos. As cobaias são isoladas numa área da penitenciária onde certas regras devem ser obedecidas e mantidas pelos guardas. No início, a camaradagem reina no ambiente. Mas a violência não tarda a explodir quando um ex-repórter disfarçado de preso lidera um motim. Os guardas reagem com brutalidade crescente. O conflito se agrava com a morte de um dos presos e a captura dos cientistas que criaram o projeto.

 

Fonte: http://www.adorocinema.com/filmes/filme-27244/


Avaliação Psicológica: Diretrizes na Regulamentação da Profissão

20/08/2012

Cartilha do Conselho Federal de Psioclogia criando referencias e regulamentações sobre a o trablhaod do psicólogo dentro da avaliação psicológica:

ownload da Cartilha:

http://site.cfp.org.br/publicacao/avaliacao-psicologica-diretrizes-na-regulamentacao-da-profissao/


Orgasmo ajuda a prevenir doenças físicas e mentais, diz estudo

16/08/2012

“Uma sinfonia do cérebro” ou “um show de fogos artificiais”. Estas são alguns dos termos usados pelos cientistas para se referir à resposta do cérebro ao momento do orgasmo. Mas embora o prazer proporcionado por essa sensação seja de conhecimento geral, quais são os benefícios para a saúde?

 

 

Magdalena Salamanca, psicanalista especializada em sexo baseada na Espanha, disse à BBC que a ausência do prazer sexual pode provocar doenças e transtornos mentais.

 

“É importante porque o orgasmo é a satisfação de um dos instintos mais importantes do ser humano, que é o sexual”, diz.

 

Ela destacou ainda que muitos dos problemas de cunho social ou profissional estão vinculados à insatisfação sexual. “Por exemplo, a ansiedade é um dos transtornos mais relacionados com a ausência do orgasmo”.

 

Além disso, a psicóloga Ana Luna disse que “fisiologicamente, a descarga de muitas tensões que o ser humano acumula se produz por meio do orgasmo”.

 

Atividade cerebral

 

Há alguns meses, cientistas da Universidade de Rutgers, no Estado americano de Nova Jersey, determinaram que o orgasmo ativa mais de 80 diferentes regiões do cérebro.

 

Utilizando imagens de ressonância magnética do cérebro de uma mulher de 54 anos enquanto tinha um orgasmo, os cientistas descobriram que no ato quase todo o cérebro se torna amarelo, o que indica que o órgão está praticamente todo ativo.

 

Os níveis de oxigênio no cérebro também refletem um espectro que vai desde o vermelho intenso até um amarelo claro, e isto tem um impacto em todo organismo.

 

Benefícios para a saúde

 

“Há outros benefícios porque todo esse sangue oxigenado que flui pelo corpo chega aos microssensores da pele e vai para todos os órgãos”, diz a psicóloga Ana Luna.

 

Já Magdalena Salamanca destaca que a saúde física e psíquica estão muito vinculadas à satisfação sexual proporcionada pelo orgasmo, o que o estudo da Universidade Rutgers parece comprovar.

 

A pesquisa mostrou como a atividade cerebral iniciada pelo orgasmo se propaga por todo o sistema límbico, relacionado às emoções e à personalidade.

 

Por isso, psicólogos como Ana Luna acreditam que o orgasmo é uma parte essencial de uma personalidade sadia.

 

“Quando você não tem orgasmo toda essa energia fica represada”, diz a estudiosa, acrescentando que muitas vezes a ausência do prazer sexual torna a pessoa irritadiça, triste, rabugenta e até mesmo com dificuldades para sorrir. BBC Brasil – Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

 

FONTE: http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,orgasmo-ajuda-a-prevenir-doencas-fisicas-e-mentais-diz-estudo,914512,0.htm